Ministra da Casa Civil virá à Câmara esclarecer demarcação de terras indígenas

    0
    541

    A ministra-chefe da Casa Civil, Gleise Hoffmann virá à Câmara nesta quarta-feira (8) para prestar esclarecimentos sobre os processos de demarcação de terras indígenas.

    O debate será promovido pela Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural. O deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS), um dos que solicitou o debate, diz que os conflitos entre indígenas e produtores rurais têm aumentado muito no Brasil nos últimos anos.

    Segundo os produtores rurais, os processos de demarcação estão sendo realizados sem que os produtores e os municípios tenham acesso às informações.

    Hoje, a demarcação depende do laudo antropológico da Fundação Nacional do Índio (Funai) e da manifestação dos envolvidos – estados, municípios, produtores e índios – mas, a decisão final é dada pelo Poder Executivo.

    Heinze reclama que os produtores estão sofrendo com a pressão da Funai que, segundo eles, ao longo dos anos vem retirando dos produtores milhares de hectares para serem transformados em reservas indígenas. “Estamos denunciando laudos antropológicos fraudulentos. Estamos denunciando áreas da Funai que estão sendo arrendadas para o plantio de lavouras, sendo hoje exploradas com diamantes por exemplo, como é o caso de Rondônia. São várias as situações irregulares e a Funai continua nesse processo, nessa voracidade.”

    De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem hoje cerca de 740 mil indígenas divididos em mais de 200 etnias.

    Também solicitaram o debate os deputados Duarte Nogueira (PSDB-SP), Valdir Colatto (PMDB-SC) e Domingos Sávio (PSDB-MG)

    A reunião será realizada às 10 horas, no Plenário 6.

    Íntegra da proposta:

    PEC-215/2000
    Reportagem – Karla Alessandra
    Edição – Regina Céli Assumpção

    Facebook Plugins

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.