Prisão do pastor Marcos Pereira é armação da Globo, diz deputado estadual Paulo Ramos; Assista

    0
    618

    A prisão do pastor Marcos Pereira na última terça-feira, 07 de maio, sob acusação de estupro de fiéis da Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD), e a revelação de que haveriam outras 20 acusações semelhantes, levou o deputado estadual Paulo Ramos (PDT) a discursar em sua defesa na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro na quarta-feira, 08 de maio.

    Em seu discurso, Ramos afirma que a prisão do pastor é fruto de uma armação feita entre José Junior, líder do Afroreggae e adversário de Marcos Pereira, e os controladores das Organizações Globo. O deputado observou ainda que a atuação do pastor nas comunidades do Rio de Janeiro já foi de grande utilidade para o Estado, e que os governos já recorreram à influência do pastor para conseguir sucesso em ações nos morros e na finalização de rebeliões nos presídios cariocas.

    Ramos questionou o motivo de a prisão ter sido feita pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) e não pela Delegacia de Proteção à Mulher, e disse ainda que as acusações contra o pastor foram feitas há mais de um ano, e nesse período não se apurou nada sobre os supostos crimes.

    A fala do deputado destaca que a prisão ocorreu justamente num momento que a emissora da família Marinho teria cometido deslizes na cobertura do caso envolvendo o traficante conhecido como Matemático.

    Outro ponto frisado pelo deputado, que foi apoiado por outros parlamentares em sua fala, é que as investigações mencionam um depoimento de Ana Madureira Silva, que seria ex esposa do pastor Marcos Pereira e o teria acusado de um estupro cometido após dez anos de casamento. Entretanto, o deputado Paulo Ramos observou que Ana Madureira nunca se divorciou do pastor, é a mãe dos filhos dele, e alega que nunca deu depoimentos à Polícia acusando seu marido de estupro.

    Paulo Ramos e Marcos Pereira mantém um relacionamento de proximidade, e em julho de 2012, o pastor foi homenageado na Assembleia Legislativa a partir de uma iniciativa do deputado.

    Assista à íntegra do discurso do deputado estadual Paulo Ramos (PDT) sobre a prisão do pastor Marcos Pereira:

     

    Em seu blog, o deputado Paulo Ramos publicou um texto em que afirma que “brevemente o José Júnior estará completamente identificado, a sua ação esclarecida e as comunidades, que na verdade são vítimas desse programa , seguramente vão aplaudir quando ele estiver afastado das políticas públicas do Governo, que seguramente não vão levar a lugar algum”.

    Waguinho

    O cantor e pastor Waguinho foi outro que alegou serem as denúncias fruto de uma armação contra o pastor. Em entrevista á rádio Melodia FM 97,5, o cantor e membro da ADUD ressaltou que as investigações contra Marcos Pereira ocorrem há mais de um ano, e nesse período, nenhuma prova foi levantada contra o pastor.

    Waguinho destacou ainda que as acusações são apenas testemunhais, feitas por pessoas que eram membros da ADUD e se desligaram da denominação.

    Em sua fala, o cantor destacou ainda que durante o tempo em que Marcos Pereira atua nas comunidades, ajudou a recuperar diversas pessoas que sofriam com dependência química.

    Assista à entrevista de Waguinho à rádio Melodia FM 97,5:

     

    Conversão

    De acordo com informações repassadas por Marcelo Patrício, advogado de Marcos Pereira, ao portal Uol, em seus primeiros dias no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, o pastor já teria pregado a detentos e convertido alguns.

    “Ele está tranquilo, pregando a palavra de Deus. Ele sabe que tudo na vida tem um propósito e disse que se Deus colocou ele lá, é porque alguém na prisão precisa da ajuda dele, é para ele ajudar. Ele está junto com os outros presos e já converteu alguns”, disse o advogado, que revelou ainda que Marcos Pereira está sendo mantido numa cela individual.

    Por Tiago Chagas, para o Gospel+

    Siga-me !

    Facebook Plugins

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.