Seleção brasileira feminina de vôlei é campeã da Copa Rio Internacional

    0
    629
    A seleção brasileira feminina de vôlei é campeã invicta da Copa Rio Internacional de Voleibol Feminino. Neste domingo (30.08), o Brasil venceu, de virada, a Holanda por 3 sets a 2 (23/25, 22/25, 25/22, 25/18 e 15/10), em 2h05 de jogo, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. As holandesas ficaram com a medalha de prata e a Bulgária, que neste domingo venceu a Alemanha por 3 sets a 2 (22/25, 25/20, 25/20, 20/25 e 15/13), terminou com a terceira colocação.
    A ponteira Gabi foi maior pontuadora entre as brasileiras, com 18 acertos. As centrais Carol, com 17 pontos (sendo seis de bloqueio), e Adenízia, com 14, e as atacantes Natália, com 13, e Monique, com 10, também pontuaram bem pelas brasileiras.O treinador José Roberto Guimarães fez uma análise da vitória das brasileiras sobre as holandesas.

    “A entrada da Sheilla foi importante no quarto set. Ela ajudou a equilibrar o time. Foi um bom teste. Vimos que precisamos melhorar o saque, o bloqueio e a defesa, que são fundamentos que fazem a diferença nas partidas. No primeiro e no segundo sets eles não funcionaram e sofremos em quadra. A partir do terceiro, nosso saque funcionou e o volume de jogo apareceu. Essa é a tônica para o nosso sistema de jogo. Quando começamos a usar as centrais nos contra-ataques, a nossa transição de jogo melhorou e passamos a levar vantagem”, explicou José Roberto Guimarães, que ainda comentou sobre a importância da Copa Rio Internacional de Voleibol.

    “O meu sentimento hoje dentro da quadra era como se eu tivesse jogando um Mundial ou os Jogos Olímpicos. Foi muito legal a participação da torcida e o fato de jogar no Maracanãzinho contra equipes de qualidade do cenário mundial que podem estar presentes nos Jogos Olímpicos, como a Holanda”, explicou José Roberto Guimarães.

    A oposto Sheilla, que entrou em quadra no quarto set e foi determinante para a vitória do Brasil, elogiou a postura do grupo durante toda a partida.

    “Foi uma boa vitória e o grupo está de parabéns pela atitude em quadra. Sabemos que ainda precisamos evoluir e estamos trabalhando forte para isso. Minha apresentação à seleção foi há pouco tempo e estou recuperando a minha melhor forma aos poucos. Estamos no caminho certo”, apostou Sheilla.

    O JOGO

    O set começou disputado ponto a ponto. Com um bom volume de jogo, o Brasil abriu dois pontos (7/5). A ponteira Gabi conseguiu um belo ataque pelo fundo e o time da casa fez 10/8. Na sequência a central Carol fez um ace e o Brasil abriu três pontos (12/9). Bem no saque, a Holanda cresceu de produção e empatou (14/14). Com um ace da central Adenízia, o Brasil voltou a abrir no marcador (16/14). O final da parcial foi disputado ponto a ponto. A Holanda aproveitou bem os contra-ataques e abriu dois pontos (20/18). O treinador José Roberto Guimarães pediu tempo. A Holanda foi melhor na parte final da parcial e venceu o primeiro set por 25/23.

    A segunda parcial começou disputada ponto a ponto. Na primeira parada técnica, o Brasil tinha um de vantagem (8/7). Aproveitando-se dos erros do Brasil, a Holanda abriu dois pontos (12/10) e o treinador José Roberto Guimarães pediu tempo. Bem no saque e no bloqueio, as holandesas abriram oito pontos (19/11). O Brasil cresceu de produção no final da parcial, mas as holandesas seguraram melhores até o final e venceram o segundo set por 25/22.

    O Brasil voltou melhor para o terceiro set e fez 5/2. Com um ace da ponteira Gabi, o time da casa abriu três pontos (7/4). A levantadora Dani Lins passou a jogar com velocidade e o time verde e amarelo fez 11/7. As brasileiras foram para o segundo tempo técnico vencendo por 16/12. A levantadora Roberta entrou na partida para sacar e fez um ace (19/13). A Holanda cresceu de produção e encostou no marcador (22/20). O Brasil segurou a vantagem até o final da parcial e venceu o terceiro set por 25/22.

    A quarta parcial começou equilibrada. Bem no contra-ataque, a Holanda abriu dois pontos (5/3). Numa bola de segunda da levantadora Dani Lins, o Brasil encostou no marcador (10/8). Neste momento, o treinador José Roberto Guimarães trocou as opostos. Entrou Sheilla e saiu Monique. A substituição fez bem ao Brasil que deixou tudo igual no marcador (11/11). E foi numa boa sequência de saques da oposto Sheilla que o Brasil virou o marcador (15/13). A ponteira Gabi conseguiu um ace e a diferença no marcador subiu para quatro pontos (18/14). O bloqueio das brasileiras funcionava e o Brasil fechou o quarto set por 25/18.

    O tie-break começou com as duas equipes se alternando na liderança. Com um ace da oposto Sheilla, o Brasil abriu dois pontos (5/3). Depois de um longo rally, o Brasil abriu três pontos (9/6). O Brasil segurou a vantagem até o final e venceu o set por 15/10 e o jogo por 3 sets a 2.

    BRASIL – Dani Lins, Monique, Gabi, Natália, Adenízia e Carol. Líbero – Camila Brait
    Entraram: Mari Paraíba, Sheilla, Macris, Léia
    Técnico – José Roberto Guimarães

    TABELA DE JOGOS:

    Data: 28/08/2015 (SEXTA-FEIRA):
    Bulgária 3 x 2 Holanda (25/14, 25/22, 18/25, 23/25 e 15/9)
    Brasil 3 x 0 Alemanha (25/20, 25/18 e 25/15)

    Data: 29/08/2015 (SÁBADO)
    Brasil 3 x 0 Bulgária (25/20, 25/21 e 26/24)
    Holanda 3 x 1 Alemanha (25/15, 25/18, 21/25 e 25/23)

    Data: 30/08/2015 (DOMINGO)
    Bulgária 3 x 2 Alemanha (22/25, 25/20, 25/20, 20/25 e 15/13)
    Brasil 3 x 2 Holanda (23/25, 22/25, 25/22, 25/18 e 15/10),

    CLASSIFICAÇÃO FINAL:

    1) Brasil
    2) Holanda
    3) Bulgária
    4) Alemanha

     

    Siga-me !

    Facebook Plugins

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.