STF suspende decisão de juíza e determina reativação do WhatsApp

STF suspende decisão de juíza e determina reativação do WhatsApp

STF suspende decisão de juíza e determina reativação do WhatsApp

Lewandowski derrubou a decisão da magistrada após atender ao pedido do partido PPS

STF suspende decisão de juíza e determina reativação do WhatsApp
STF suspende decisão de juíza e determina reativação do WhatsApp

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, derrubou na tarde desta terça-feira (19) derrubar a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro que manteve o aplicativo bloqueado desde as 14h.

O ministro atendeu ao pedido do partido PPS e considerou a decisão desproporcional. De acordo com a Folha de S. Paulo, a íntegra da decisão não foi divulgada.

A sigla requereu a derrubada da Justiça do Rio em uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) apresentada pelo partido em maio deste ano, quando a Justiça de Sergipe também determinou o bloqueio do serviço.

Segundo o PPS, a liminar tem “a finalidade de não mais haver suspensão do aplicativo de mensagens WhatsApp por qualquer decisão judicial”.

A legenda afirma que a medida fere a Constituição que prevê entre os direitos individuais e coletivos a “livre expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.

O WhatsApp informou momentos antes que estaria recorrendo da decisão judicial de bloqueio do serviço de mensagens no país. A assessoria de imprensa da empresa, controlada pelo Facebook, não deu detalhes sobre o recurso.

Segundo o PPS, a liminar tem “a finalidade de não mais haver suspensão do aplicativo de mensagens WhatsApp por qualquer decisão judicial”.

A legenda afirma que a medida fere a Constituição que prevê entre os direitos individuais e coletivos a “livre expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.

O WhatsApp informou momentos antes que estaria recorrendo da decisão judicial de bloqueio do serviço de mensagens no país. A assessoria de imprensa da empresa, controlada pelo Facebook, não deu detalhes sobre o recurso. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.