//Atacada durante a eleição, Fancisleine Assis de Almeida esclarece indenização recebida do Rodoanel
Atacada durante a eleição, Fancisleine Assis de Almeida esclarece indenização recebida do Rodoanel

Atacada durante a eleição, Fancisleine Assis de Almeida esclarece indenização recebida do Rodoanel

Atacada durante a eleição, Fancisleine Assis de Almeida esclarece indenização recebida do Rodoanel

Atacada durante a eleição, Fancisleine Assis de Almeida esclarece indenização recebida do Rodoanel

Atacada durante a eleição, Fancisleine Assis de Almeida esclarece indenização recebida do Rodoanel

Alvo preferido dos opositores do marido, o deputado federal Eli Corrêa Filho que concorria a prefeito da Guarulhos, a empresária Franscisleine de Almeida falou à imprensa esta sema e se diz abatida com os constantes ataques. Para ela, “transformaram um problema pessoal em uma disputa política”.

Segundo a empresária, os ataques começaram quando o Dersa desapropriou terreno de propriedade de sua família, na região do aeroporto, para a construção do Rodoanel Norte. “Nossa família recebeu o terreno de doação do meu pai, que faleceu há cinco anos. Entendemos que a indenização inicial estava abaixo do valor real e entramos na Justiça para pedir revisão. Após pericia técnica o Juiz decidiu a nosso favor. Aliás, ao contrário do que falaram, o dinheiro que foi depositado em nosso favor ainda continua no bando esperando decisão judicial”.

Para a empresária, não existe ilegalidade no processo. “Estamos pedindo um novo laudo para confrontar com o apresentado pelo Dersa. Mas isso não tem nada de corrupção. E qualquer pessoa que sendo advogado tem acesso ao processo vai entender que não tem nada de errado. Apenas entendemos que os valores que queriam pagar eram muito abaixo da tabela e entramos na Justiça. Isso é um direito garantido por lei“.

Atacada durante a eleição, Fancisleine Assis de Almeida esclarece indenização recebida do Rodoanel
Atacada durante a eleição, Fancisleine Assis de Almeida esclarece indenização recebida do Rodoanel

Francileine também esclareceu que as constantes críticas que recebe em relação às questões envolvendo o IPTU são infundadas. Para ela, inúmeros terrenos administrados pela empresa da família estão em área rural e são cobrados impostos como se fossem áreas urbanas. “Primeiro que o imposto em Guarulhos é abusivo. Segundo que entramos na Justiça para rever esses valores, pois não aceitamos, como qualquer cidadão não aceitaria. Já ganhei muitas ações e outras eu perdi. Dizendo novamente como todo e qualquer cidadão guarulhense tem o direito de ir atrás, daquilo que você acha correto e a Justiça vai decidir se você está certa ou se você está errada.”

Para finalizar, a empresária diz que espera que, em breve, tudo esteja resolvido. “Quero deixar claro para todos que sou uma das pessoas mais interessadas em deixar bem claro que somos uma família correta. Nunca fizemos nada na cidade que nos desabonasse. O Eli é um político que está há 18 anos na vida pública e nunca teve uma mancha na carreira dele. Mas, infelizmente, transformaram problemas comuns de família em uma guerra política. Uma coisa suja e que prejudica a cidade. Só para se ter uma ideia, por 14 vezes durante o período eleitoral estampei a capa de jornais da cidade, sempre de forma pejorativa. Mas sei que o guarulhense é inteligente e procurarão saber a verdade antes de julgar.