//Francislene Assis Correa
Francislene Assis Correa

Francislene Assis Correa

Francislene Assis Correa

Francislene Assis Correa

Francislene Assis Correa

, CADA VEZ MAIS PODEROSA E INFLUENTE NOS NEGÓCIOS!

Antes era assim, mulher não pode votar ,não pode usar uma saia curta, não pode sair sozinha de casa ou não podia estudar só por ser uma mulher. Se isso parece absurdo para você hoje, saiba que todas essas mudanças ocorreram graças a mulheres corajosas e poderosas, que devotaram boa parte de suas vidas para mudar a história e permitir que você pudesse fazer tudo isso, hoje, sem um olhar de reprovação – ou pelo menos é assim que deveria ser.

Francislene Assis Correa
Francislene Assis Correa

A conquista da mulher pela igualdade vai além dos anos 1900 e que deixou pra trás só recordação.
Um estudo da Serasa Experian revelou que mais de cinco milhões de brasileiras são empreendedoras. As mulheres estão à frente de 43% dos negócios do país, a maior parte delas (98,5%) atuando como MEI ou sócias de micro e pequenas empresas. Porém, nas grandes corporações o cenário é outro: apenas 0,2% das empreendedoras do Brasil são sócias de grandes empresas.
“O mundo corporativo ainda é um ambiente bastante hostil para as mulheres. O empreendedorismo é como uma segunda via, uma opção viável para se manter na ativa, fazer o que gosta, estar mais perto da família (não trabalhando menos, mas com flexibilidade) e, acima de tudo, poder criar algo que pode transformar a vida das pessoas”.
Embrenhando-se por trilhas que podem ser bastante complicadas, as mulheres conquistam seu espaço. Para muitas, empreender é uma forma de empoderamento. Afinal, a jornada pode contribuir para o autoconhecimento, a quebrar paradigmas, a lutar contra os modelos de trabalho ainda predominantemente machistas e a conquistar a própria independência e liberdade.
“Acho que antes de tudo a mulher precisa ter coragem, pois terá que abrir mão de várias coisas que lhe foram impostas como certas. Terá que acreditar. Acreditar que será capaz de resolver coisas que parecem impossíveis”.