Promotoria instaurou ação civil pública de improbidade administrativa contra Eduardo Soltur (PSDB) e Jesus Roque Freitas (DEM). MP apura compra de imóvel pela Casa em 2015.

Por SP2 — São Paulo

Há 3 anos, Câmara de Guarulhos gastou quase R$15 milhões em prédio que não foi usado

O Ministério Público de São Paulo instaurou uma ação civil pública de improbidade administrativa contra Eduardo Soltur (PSDB), atual presidente da Câmara Municipal de Guarulhos, e Jesus Roque Freitas (DEM), ex-presidente da Casa.

A promotoria quer saber por qual razão a Câmara de Vereadores de Guarulhos segue pagando aluguel e não está usando imóvel que foi comprado em 2015, em um leilão.

Segundo o MP, há cerca de um ano a Câmara contratou duas empresas para fazer o projeto e a execução da reforma do galpão.

O valor gasto foi de mais de R$ 360 mil. Três anos depois, porém, a Câmara ainda está pagando R$ 400 mil por mês com aluguel porque a reforma do prédio não terminou e a obra está parada.

Pressionada pelo MP, a Câmara informou que o projeto tinha sido cancelado por não estar adequado. Também reconheceu que as obras estavam em ritmo bastante lento e que agora está aguardando o novo projeto executivo para definir novos prazos.

A assessoria de Eduardo Soltur informou que a empresa que ficou em segundo lugar na licitação foi convocada para realizar um novo projeto. E depois da entrega desse projeto, as obras serão retomadas. Mas não disse o novo prazo. A reportagem não obteve retorno da assessoria do vereador Jesus Roque Freitas.