Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu

    Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu
    Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu

    Rede Gazeta News Guarulhos

     

    Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu

    O anúncio da paralisação foi feito pelo bispo Marcus Vinícius Vieira, principal executivo da emissora, em reunião da cúpula

     01:44:58

    Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu
    Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu

    fonte NOTÍCIAS AO MINUTO

    Após a decisão judicial que determinou a recontratação dos 600 funcionários demitidos pela Record no final do ano passado, a emissora optou por suspender a terceirização dos programas de Rodrigo Faro, Sabrina Sato, Marcos Mion e Geraldo Luís, que seriam entregues à produtora de Gugu Liberato, a GGP.

    Segundo Daniel Castro, o anúncio da paralisação foi feito pelo bispo Marcus Vinícius Vieira, principal executivo da emissora, em reunião da cúpula. Isso quer dizer que as novas demissões serão adiadas e não evitadas.

    Vieira pretende esperar os problemas com a justiça passarem para colocar em prática a parceria, fechada na renovação do contrato de Gugu com o canal.

    No último dia 16, a juíza da 44ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, Joana de Mattos Colares, assinou a sentença que determina que a rede de Edir Macedo readmita os funcionários dispensados. O veredicto também proíbe o canal de realizar novas demissões em massa.

     

    Após a decisão judicial que determinou a recontratação dos 600 funcionários demitidos pela Record no final do ano passado, a emissora optou por suspender a terceirização dos programas de Rodrigo Faro, Sabrina Sato, Marcos Mion e Geraldo Luís, que seriam entregues à produtora de Gugu Liberato, a GGP.

    Segundo Daniel Castro, o anúncio da paralisação foi feito pelo bispo Marcus Vinícius Vieira, principal executivo da emissora, em reunião da cúpula. Isso quer dizer que as novas demissões serão adiadas e não evitadas.

    Vieira pretende esperar os problemas com a justiça passarem para colocar em prática a parceria, fechada na renovação do contrato de Gugu com o canal.

    No último dia 16, a juíza da 44ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, Joana de Mattos Colares, assinou a sentença que determina que a rede de Edir Macedo readmita os funcionários dispensados. O veredicto também proíbe o canal de realizar novas demissões em massa.

    Após a decisão judicial que determinou a recontratação dos 600 funcionários demitidos pela Record no final do ano passado, a emissora optou por suspender a terceirização dos programas de Rodrigo Faro, Sabrina Sato, Marcos Mion e Geraldo Luís, que seriam entregues à produtora de Gugu Liberato, a GGP.

    Segundo Daniel Castro, o anúncio da paralisação foi feito pelo bispo Marcus Vinícius Vieira, principal executivo da emissora, em reunião da cúpula. Isso quer dizer que as novas demissões serão adiadas e não evitadas.

    Vieira pretende esperar os problemas com a justiça passarem para colocar em prática a parceria, fechada na renovação do contrato de Gugu com o canal.

    No último dia 16, a juíza da 44ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, Joana de Mattos Colares, assinou a sentença que determina que a rede de Edir Macedo readmita os funcionários dispensados. O veredicto também proíbe o canal de realizar novas demissões em massa.

    Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu

    Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu

    Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu

    Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu

    Após ação judicial, Record adia terceirização com produtora de Gugu

     

     

    Deixe uma resposta

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.