Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa…

    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa
    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa

    Rede Gazeta News Guarulhos

     

    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa…

    Imagens das câmeras de segurança confirmam o que funcionários do museu disseram à polícia. Incêndio teria começado com troca da iluminação.

     FONTE JORNAL NACIONAL

    O Jornal Nacional teve acesso, com exclusividade, às imagens do começo do incêndio que destruiu o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo.

    A câmera que registrou o começo do incêndio estava instalada no teto de uma sala do primeiro andar do Museu da Língua Portuguesa.

    Era lá que ficava a mostra “O Tempo e Eu”, sobre o historiador Câmara Cascudo. Era 21 de dezembro, segunda-feira. O museu estava fechado, dia de manutenção.

    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa

    O vídeo mostra o vai e vem de funcionários desde cedo. Dois passam com uma escada e checam a iluminação. À 13h42, a equipe leva a escada para o corredor e para num ponto distante da câmera. Mas é possível ver que um deles sobe a escada. Ali, estavam penduradas várias redes de dormir, um dos temas de estudo do historiador. Acima delas, havia refletores, como mostram imagens feitas em outubro pela TV Globo.

    As imagens das câmeras de segurança confirmam o que os funcionários do museu disseram à polícia: que o incêndio teria começado com a troca da iluminação. A suspeita é de que uma fagulha, provocada por um curto-circuito ou o estouro de uma lâmpada, tenha caído em cima das redes.

    Um pouco antes do incêndio, os funcionários fazem testes com os refletores. Às 14h52, um clarão no corredor. Vários pedaços em chamas vão caindo do teto.  Tudo indica que são as redes pegando fogo. Um minuto depois, o incêndio já toma conta do corredor. Em seguida, chega o Bombeiro Civil Ronaldo Ferreira da Cruz. Ele acabou morrendo tentando combater o fogo.

    O incêndio se espalha rapidamente. Parece uma chuva de fogo que cai do teto e logo invade a sala. Há muita fumaça. O calor afeta a câmera que fica com a imagem em preto e branco até parar de gravar.

    Do lado de fora, uma testemunha registrou o começo do incêndio, que destruiu o Museu da Língua Portuguesa. Um dia depois, o repórter José Roberto Burnier entrou no museu e mostrou o que sobrou no corredor.

    Os peritos ainda estão analisando as imagens da câmera de segurança. Ainda não há prazo para a entrega do laudo com as causas do incêndio.

    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa…

    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa…

    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa…

    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa…

    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa…

    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa…

    Câmeras registram início do fogo no Museu da Língua Portuguesa…

    Deixe uma resposta

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.