China minimiza risco de foguete descontrolado causar danos

Ads

14:23:14

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, disse nesta sexta-feira (7) à agência de notícias AFP que a probabilidade do primeiro estágio do foguete Longa Marcha 5B causar danos no retorno à Terra é “extremamente baixa”. “A maioria dos componentes vai se destruir” ao reentrar na atmosfera, afirmou.

Segundo Wenbing, o governo chinês dará mais informações sobre a situação “em um momento oportuno”. A afirmação reflete a opinião de especialistas chineses e internacionais: segundo eles apenas parte dos componentes do foguete resistirá à reentrada.

Marcelo Zurita, diretor técnico da Bramon, a Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros, lembra que “uma grande parte do material do foguete é completamente vaporizado na reentrada. Geralmente, sobram apenas os tanques de combustível, que recebem uma proteção térmica”.

Leia mais

Claro que, mesmo com uma chance pequena, os destroços do Longa Marcha 5B podem causar estrago. Mas de acordo com o Global Times, pertencente ao Diário do Povo, jornal oficial do Partido Comunista Chinês, os relatos de que o foguete está “fora de controle” e pode causar danos são exagero dos estrangeiros.

ADS

Ao Global Times, o especialista aeroespacial Song Zhongping afirmou que a China monitora o pedaço de foguete. Ele também destacou que o combustível utilizado pelo Longa Marcha 5B é ecológico e não vai poluir o oceano. “É mais uma campanha da chamada ‘ameaça espacial da China’ adotada por forças ocidentais”, concluiu.

O local mais próvavel para a queda do foguete é na costa oeste dos Estados Unidos, no Oceano Pacífico, neste sábado (8).  O Departamento de Defesa (DoD, na sigla em inglês) dos Estados Unidos monitora o objeto.

Ilustração da Tiangong, futura estação espacial chinesa. O estágio central, chamado Tianhe, foi lançado por um foguete Longa Marcha 5B
Ilustração da Tiangong, destacando cada um dos módulos que a compõem. Imagem: Saggitarius A / Wikimedia Commons (CC-BY-SA 4.0)

“Todos os destroços são ameaças em potencial à segurança do voo e ao domínio espacial”, destacou o Pentágono. O monitoramento do objeto ficou a cargo do 18º Esquadrão de Controle Espacial, na Califórnia.

O foguete Longa Marcha 5B foi lançado para colocar em órbita o primeiro módulo da futura estação espacial chinesa, chamada Tiangong. O primeiro estágio, objeto que irá cair na Terra, tem 33 metros de comprimento, 5 metros de diâmetro e pesa 21,6 toneladas. É o tamanho que causa preocupação, já que a chance de que destroços sobrevivam à reentrada e atinjam o solo é maior.

A última vez que um objeto de grande porte fez uma reentrada em nossa atmosfera foi em 2018, quando a primeira estação espacial chinesa, Tiangong-1, caiu ao sul do Oceano Pacífico. Ainda assim, ela é pequena comparada ao primeiro estágio do Longa Marcha 5B, com apenas 10 metros de comprimento e 3,3 metros de largura.

ADS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × cinco =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.