Rede Gazeta News Guarulhos

 

Contas de Almeida causam divisão na Câmara

Contas de Almeida causam divisão na Câmara

21:30:45

Eurico Cruz

A quebra de um acordo entre a Base e a Oposição para votação das contas do ex-prefeito Sebastião Almeida (hoje no PDT) fez com que a aprovação do projeto de lei que aumenta a alíquota do ISS para alguns setores ficasse para a próxima semana.

O combinado era que as contas do ex-prefeito Sebastião Almeida (PT) fossem colocadas para votação durante a sessão de quinta-feira, 16, antes de passar para o tema seguinte, a lei do ISS. Mas, após o pessebista Wesley Casaforte solicitar quórum enquanto os vereadores se reuniam em um dos espaços da Casa de Leis, fez com que o presidente da Casa, Eduardo Soltur (PSD) se irritasse e encerrasse tanto as sessões ordinárias quanto as extraordinárias. À imprensa, ele negou qualquer acordo e disse que não havia quórum para os trabalhos.

As contas não eram o único problema. Muitos vereadores do Governo tinham dúvidas sobre o projeto do ISS. A ação irritou o líder de Governo, Eduardo Carneiro (PSB).

“Vereador deve ter a noção de votar com responsabilidade, votar no que é bom para a cidade. Não adianta querer votar só no que acha bonito”, disse o governista, que ressaltou que os empresários saem da cidade por causa da falta de estrutura deixada pela gestão anterior.

“É um desentendimento da Base do Governo que não está confortável em votar aumento de impostos”, disse Edmilson Souza (PT), líder da Oposição.

No canto – Vereadores saem do plenário para tentar buscar um acordo (Foto: Lucas Dantas)

Guti atende evangélicos e tira gênero

O prefeito Guti (PSB) decidiu acatar o pedido da bancada evangélica da Câmara Municipal e retirou as determinações sobre campanhas voltadas à “orientação sexual  e gênero” do projeto de lei do Plano Municipal de Educação (PME).

Segundo os evangélicos, as palavras que constavam na meta 14 do PME (de um total de 16) davam margem para se discutir a ideologia de gênero, o que seria “satânico e diabólico” nas palavras do vereador João Barbosa (PRB).

Instituição rejeita mudança no ISS

Embora um substitutivo ao projeto de lei que trata do aumento da alíquota do ISS tenha atendido nove de 12 reivindicações da Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos (ACE), outras instituições também querem alterações, como é o caso da Associação Brasileira do Trabalho Temporário, que sofrerá um aumento de 2% na cobrança do tributo, para o teto máximo para 5%. Segundo Michelle Karine, diretora de comunicação da associação, a ação deve causar a queda de 20% das contratações.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.