quinta-feira, junho 17, 2021
Início Destaque De olho nas eleições de 2022, Doria quer ser “antídoto contra Bolsonaro”,...

De olho nas eleições de 2022, Doria quer ser “antídoto contra Bolsonaro”, diz jornal francês

De olho nas eleições de 2022, Doria quer ser
De olho nas eleições de 2022, Doria quer ser "antídoto contra Bolsonaro", diz jornal francês

15:36:25

O jornal francês La Croix desta terça-feira (18) traz uma matéria de sua correspondente no Brasil sobre João Doria, com a manchete “O governador de São Paulo posa como antídoto a Jair Bolsonaro”. “Ex-apoiador do presidente brasileiro, o governador agora é seu principal rival à direita, na perspectiva das eleições presidenciais de 2022, em um Brasil devastado pelo coronavírus”, afirma a matéria.
RFI© Fotomontagem RFI/Adriana de FreitasSegundo La Croix, diante de um trágico cenário que já tirou a vida de quase 440 mil pessoas, Doria quer sobretudo se diferenciar de Bolsonaro, que continua menosprezando medidas básicas de proteção contra a doença, como o uso de máscara. No entanto, o governador de São Paulo não é um grande defensor de uma forte política sanitária e suas medidas contra a epidemia estão longe de agradar os paulistas de forma unânime.

A matéria destaca que neste estado, que é o mais rico do Brasil e onde mais de 104 mil pessoas morreram de Covid-19, o comércio e os locais de culto religioso reabriram no último 18 de abril por decisão de Doria. Embora os médicos apontassem que a reabertura seria precoce, o governador, de orientação liberal, resolveu deixar os critérios sanitários de lado para “responder à pressão dos comerciantes”, afirma a matéria.

Mas, segundo o jornal, o ambicioso Doria consegue se diferenciar de Bolsonaro na guerra que trava contra o presidente brasileiro sobre as vacinas anticovid. Desde o ano passado, o governador de São Paulo se mostra como um fervoroso defensor do imunizante chinês CoronaVac, desenvolvido em parceria com o instituto Butantã, e que permitiu que o Brasil começasse a vacinar a população no final de janeiro. Desta forma, afirma La Croix, Doria venceu uma batalha midiática, enquanto o presidente menospreza publicamente a imensa quantidade de vítimas da doença no Brasil, que chegou a ultrapassar quatro mil óbitos por dia em abril.

Paixão pelo poder

Entrevistado pelo La Croix, o cientista político Eduardo Viveiros de Freitas afirma que Bolsonaro “vira as costas à catástrofe que vive o país, quando prefeitos e governadores lidam diariamente com essa realidade”. Para o jornal, Doria, que divide com o presidente brasileiro uma inegável paixão pelo poder, sabe disso e se aproveita desta situação. Não é à toa que o governador de São Paulo se mostra como um outsider e flerta com a extrema direita, avalia.

Essa ambição de Doria irrita cada vez mais Bolsonaro, que pretende se reeleger em 2022. Segundo o cientista político Humberto Dantas, ouvido pelo jornal, a principal diferença entre os dois é que o governador de São Paulo é um “equilibrista”. “Doria deixa um pé nos dados científicos da pandemia, mas o outro em sua carreira política”, diz o especialista.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.