//Influenciadora que oferecia dinheiro em stories do Instagram é detida por fraude de US$ 1,5 milhão
Influenciadora que oferecia dinheiro em stories do Instagram é detida por fraude de US$ 1,5 milhão 1

Influenciadora que oferecia dinheiro em stories do Instagram é detida por fraude de US$ 1,5 milhão

Share this:

Influenciadora que oferecia dinheiro em stories do Instagram é detida por fraude de US$ 1,5 milhão 2
Influenciadora que oferecia dinheiro em stories do Instagram é detida por fraude de US$ 1,5 milhão

Influenciadora que oferecia dinheiro em stories do Instagram é detida por fraude de US$ 1,5 milhão

Uma youtuber e personalidade do Instagram de 22 anos anunciando dinheiro “legal” para “pessoas sérias apenas”, sem “fraudes!”, era na verdade uma farsa, supostamente.

• Golpistas roubaram US$ 19 milhões em iPhones nos EUA com fraude que durou por 7 anos
• Homem confessa esquema milionário que trocava iPhones falsos por originais

De acordo com uma queixa de 67 páginas que detalha uma investigação iniciada pelo USPS (Serviço Postal dos Estados Unidos), Kayla Massa e nove cúmplices recrutaram seguidores para repassar os detalhes de contas bancárias em um esquema envolvendo cheques fraudulentos e ordens de pagamento roubadas da USPS que supostamente captou mais de US$ 1 milhão. Massa e seus amigos, que pareciam levar uma existência digital perfeitamente digna do Instagram com os nomes kayg0ldi e Theonlykayg0ldi, supostamente coletaram detalhes de pelo menos 45 contas bancárias de mais de 340.000 seguidores.

Imagem: Captura de tela; documentos judiciais

Parece que funcionou da seguinte forma: a partir do início de 2018, Massa publicou stories no Instagram como a foto do dinheiro acima, ordens de pagamento do USPS, cartões de débito e extratos bancários que anunciam um dinheiro misterioso para qualquer pessoa com uma conta bancária.

Quando os seguidores entravam em contato por mensagem privada, ela dizia a eles que usaria temporariamente a conta para depositar fundos para uma “redução de impostos” ou para adicioná-los à folha de pagamento de uma empresa (de alguma forma) e que a vítima receberia vários milhares de dólares com essa troca. Conforme ela explicou em um caso, agora apresentado como evidência:

Então, basicamente, meu parceiro de negócios possui o seu próprio negócio. Depositamos um cheque no caixa eletrônico, alegando que você trabalhou. Demora 1 ou 2 dias para processar. Eu precisaria do seu banco online e cartão e pin. Teríamos que nos encontrar. Se você tiver alguma dúvida, pode me perguntar.

Se as vítimas tivessem alguma dúvida, Massa assegurava que seus fundos estariam seguros dizendo-lhes que primeiro esvaziassem suas contas bancárias antes de entregar os detalhes.

Um encontro em um estacionamento vinha a seguir; as vítimas entregavam seus detalhes e cartões de débito a Massa e/ou a um amigo, que depositava ordens de pagamento roubadas ou cheques falsificados nas contas, gastava o dinheiro, usava os cartões de débito para comprar mais ordens de pagamento, atingiam o limite do cheque especial e bloqueava a vítima, apagando todas as evidências das mensagens.

Quando uma vítima que conseguiu chegar a Massa via texto ameaçou chamar a polícia, Massa respondeu: “Faça o que quiser”.

Os eventos ocorreram no final de janeiro de 2019. A polícia deteve três dos conspiradores e prendeu dois depois de encontrar mandados de prisão pendentes. No carro, eles encontraram 39 cheques e dois cartões de débito escondidos dentro do teto solar, além de milhares de dólares em dinheiro e várias notas sacadas do Bank of America. No início daquele mês, Massa e sua irmã fizeram um vídeo no YouTube confessando que estavam fora das redes sociais porque “estava acontecendo muita coisa”.