O que é preciso para criar uma equipe profissional de jogos eletrônicos?

Ads
Henrique Carpigiani, comentarista e psicólogo de eSports, conta qual a estrutura necessária

Um setor que cresce cerca de 10% ao ano e fatura o dobro da indústria cinematográfica: esse é o cenário do mercado de jogos eletrônicos mundial, que atrai cada vez mais jogadores profissionais e potenciais investidores. Conhecendo essa oportunidade de negócios, muitos jovens empreendedores criam suas próprias equipes para garantir uma fatia desse bolo, que só cresce  no Brasil. Mas, o que, realmente, é necessário para formar uma equipe  profissional vai além do interesse financeiro, é preciso uma estrutura singular. 

O comentarista de games do Canal WorkStars, Henrique Carpigiani, destaca que uma equipe de eSports é uma empresa como qualquer outra, e, sendo  assim, precisa ter uma hierarquia funcional. Por isso, ele elencou os principais  cargos de um time de alto rendimento. 

“Tudo começa com a criação de uma marca, então a primeira pessoa na rede da equipe é o Proprietário ou CEO, que será responsável por abrir juridicamente, gerar e registrar a empresa, tomando todas as decisões da organização. Logo abaixo dele está o Diretor Operacional, que irá cuidar de fato dos times, seja pra quais modalidades de jogos forem”, contou. 

Para Henrique Carpigiani, um dos cargos mais importantes dessa estrutura é o de Diretor de Marketing, que está no mesmo patamar que o Operacional. É o trabalho dele que irá arrecadar patrocinadores, de onde provém a maior receita das equipes de games. 

“Esse profissional, juntamente com sua equipe, irá gerar conteúdo, comunicação, trabalhar as redes sociais, fortalecendo a imagem da empresa e aumentando o público torcedor”, explicou. 

Com os dados produzidos pelo Marketing, o Gerente Comercial irá vender a marca dessa equipe para arrecadar verbas e gerenciar as contas de patrocínio. E o Administrativo e Financeiro irão controlar o dinheiro que entra e que sai do caixa, porque assim, será possível planejar os próximos campeonatos, tendo em vista o valor necessário para manter a empresa lucrativa. 

ADS

Depois da estrutura administrativa é hora de pensar na linha de frente dessa equipe: quem vai jogar e trazer os resultados esperados. Segundo Henrique, a melhor maneira de construir essa parte da empresa é contratar um Coach, um Analista e um Assistente Técnico. 

“Começar pela escolha da Staff é mais produtivo para o andamento operacional. São essas pessoas que irão treinar e preparar os players, então, dar a elas a liberdade de escolher com quem desejam trabalhar é uma maneira de aumentar a confiança e aliviar a pressão, já que depende deles conquistar vitórias.” 

Dentro da equipe de Staff está, também, o Psicólogo do Esporte, um profissional cada vez mais requisitado pelos games. É ele que irá trabalhar as  habilidades psicológicas de todos os participantes, melhorando a interação entre os jogadores, a equipe e os torcedores, garantindo o equilíbrio das emoções e reações, o que acarreta um bom desempenho para todos. 

Por último e mais importante está o Público, que é essencial para qualquer organização que queira ter sucesso no mundo dos eSports. São os fãs que justificam o investimento dos patrocinadores e sem eles é impossível manter uma equipe ou obter sucesso. Para Henrique o grande diferencial de uma  equipe é como ela interage com seus torcedores. 

“O marketing é o coração de uma organização de eSports, porque ele trabalha a comunicação do time com o público e sem público não existe competição”,  finalizou.

ADS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.