O transporte não pode parar em meio á calamidade

O transporte não pode parar em meio á calamidade

Redução de transporte público gera aglomeração 

Repórter: Juliana Macedo 14:49:53

A região metropolitana de São Paulo decidiu na semana passada suspender gradativamente os serviços municipais de transporte, até sua interrupção completa programada pro próximo dia 29.O transporte não pode parar em meio á calamidade

Conforme postagens recentes, o governo estadual estaria evitando acarretar a paralisação de metrôs, trens e ônibus em outros municípios da região. A paralisação em tese seria consistente, segundo as recomendações das autoridades sanitárias, das quais todos devem permanecer em suas casas.

Teoricamente se os principais locais de atividades como: Shoppings, parques e diversos serviços essenciais- encontram se fechados, para que o transporte? 

Inúmeras pessoas de cidades afastadas só conseguem emprego na grande metrópole, dependendo assim do transporte público. A intenção ao diminuir a frota de ônibus nas ruas seria devido ao isolamento, sendo assim quanto menos pessoa nas ruas menos transporte em circulação, em teoria… A humanidade não parou por completo, existem profissões essenciais nessa época, profissões que se pararem o caos se instala, pessoas as quais dependem do transporte público, que a anos é questionado, agora volta a boca da população com pedidos incessantes de retorno.

Sabendo que temos mais de 2 mil casos em mais de treze estados diferentes no Brasil. As autoridades estaduais e municipais recomendam que os passageiros não utilizem o meio de transporte público no horário de pico, levando em consideração que existem pessoas que dependem do transporte em determinado horário.

O transporte coletivo é um sistema de transporte para passageiros por conjuntos de viagens em grupos para uso público e geral. A superlotação não é algo novo, a falta de cumprimento com o horário e a manutenção do mesmo, porém, ao diminuírem a frota na esperança de não haver o contágio do covid-19 outros problemas foram acarretados.

 

 No início da quarentena realmente funcionou, porém foi algo que permaneceu por volta de duas semanas, aos poucos os ônibus foram chegando lotados após a retirada de muitos de circulação retrata Cecília assistente administrativo. Com a retirada dos meios de transporte públicos da circulação os poucos que funcionam estão sobrecarregados.

 O intervalo entre um ônibus e outro é muito grande, diz Mônica, causando assim aglomeração de pessoas nos pontos de ônibus e consequentemente dentro do transporte, muitas pessoas não respeitam não respeitam o limite de distância mínima, e em alguns pontos de ônibus nem suportam essa distância, entre a escolha de ficar na rua e ficar todos juntos, também gera uma grande aglomeração diz Cecília. 

Empresas alteraram a jornada trabalhista de seus funcionários com o intuito de evitar aglomerações, segundo Suellen estudante de jornalismo que mora no Jardim Cecap. ¨ Os ônibus já chegam lotados, pois já vem de outros bairros, e o horário de pico não teve alteração, os ônibus permanecem lotados.

Segundo o Ministério da Saúde também se argumenta que a utilização de ônibus pode representar em si um risco para a saúde. Embora não haja evidência específicas ao novo coronavírus, estudos realizados por cientistas mostram que o risco de contaminação de outras doenças respiratórias é mais elevado entre usuários do transporte coletivo.

Em todo o mundo, houve uma queda drástica também em atividades como visitas em parques e restaurantes cerca de (70% no Brasil), visto que com a escalação do coronavírus chega a 62% a queda de brasileiros no transporte público, número pequeno perante aos países Europeus. Os dados foram retirados da análise de dados anônimos divulgados pelo Google, obtidos a partir de aparelhos dos usuários. 

A queda na circulação de brasileiros só ganhou força após governantes suspenderem aulas e fecharem os comércios. Visto que o intuito não foi alcançado lugar como Presidente Prudente e Santa Catarina tiveram reuniões entre os dias 24/04 e 05/05 para acionar a liminar que determina a retomada do transporte coletivo.

Empresas aéreas avaliam que a crise do novo coronavírus é mais severa que os atentados de 11 de setembro, que foi um caso terrorista, inúmeras empresas aéreas diminuíram seus funcionários a Latam aqui da América Latina, por exemplo, enviou um comunicado interno para alguns de seus colaboradores para licença não remunerada, teve a diminuição de 30% de suas freqüências internacionais.

O transporte coletivo em lugares onde a pandemia onde o surto foi mais severo que foram na China e na Itália e tivemos duas situações distintas. O Governo da China restringiu e fechou estações e sistemas de transportes em treze cidades, quando ocorreu o pico da transmissão, já na Itália não ocorreu  suspensão dos meios de transporte, mas houve a diminuição e restrição de pessoas de circulação na cidade, o que houve foi restrição no transporte aéreo e ferroviário de longas distâncias.

 Empresas em que os ônibus mesmo com ar condicionado exigem que as janelas estejam abertas, veículos em que as janelas são lacradas terão que passar por adaptação e as janelas terão que ser abertas.

A CPTM suspendeu o serviço do expresso turístico, onde o trem parte da estação da Luz com três destinos, Jundiaí, Paranapiacaba e Mogi das Cruzes e assim também suspendeu as vendas. 

A Prefeitura de Guarulhos descarta a paralisação total de ônibus, anteriormente a intenção inicialmente anunciada pela prefeitura era reduzir a frota em 40% entre segunda dia 23 de março de 20202, e quinta da, 26, .com a suspensão dos serviços a partir do dia primeiro de abril. Entretanto na tarde de quarta feira dia 25 de março de 2020, a Guarupas, associação que reúne as empresas de ônibus que operam  na cidade, informou que ¨ em alinhamento criterioso com a  Prefeitura, que o sistema de transporte por ônibus de Guarulhos, será mantido sem interrupção, com ajustes adequados á situação da pandemia na cidade.

Dicas para pessoas que utilizam do transporte coletivo:

  • Após usar os transportes coletivos e seguros nas barras de apoio, higienize as mãos.
  • Se vier a seguras na barras de apoio, evitar encostar-se aos olhos, boca e nariz.
  • Ande sempre com álcool em gel se possível.
  • Lave as mãos sempre que tiver oportunidade.
  • Mantenha o Máximo de distância que possível.
  • O uso de máscara é imprescindível e obrigatório.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.