Profissionais da saúde em risco, aponta relatório
Profissionais da saúde em risco, aponta relatório

23:18:13 Por /Guilherme Conde

Profissionais da saúde em risco, aponta relatório

A Anistia Internacional publicou nesta segunda (13) um relatório que denuncia o descaso governamental na proteção de profissionais da saúde, que estão na linha de frente no combate ao coronavírus.

Chamado de “COVID-19: Os profissionais da saúde reduzidos ao silêncio”, o relatório foi feito com dados levantados em 63 países, e desde o início da epidemia, entre o final de 2019 e o início de 2020, cerca de 3 mil profissionais da saúde perderam suas vidas, mas a própria ONG afirma que o número é subestimado.

Em entrevista para a rádio França Internacional, Mathilde Brouzes, representante da Anistia Internacional disse: “eles são submetidos a condição de trabalho perigosas com a falta de equipamentos e a formação para a prevenção”.

Há casos que, na falta de equipamentos adequados, a improvisação foi necessária, como a utilização de sacos de lixo. Em 31 dos 63 países estudados pela Anistia Internacional, existiu algum movimento de paralisação para reivindicar melhores condições.

Além das diferenças de tratamento, que varia de país para país.

“No Egito, os profissionais de saúde são tratados como heróis, mas houve aqueles que denunciaram as falhas do sistema e sofreram represálias”, disse Brouzes citando o caso da Rússia, onde muitos profissionais da saúde sofreram medidas disciplinares ou perderam seus postos.

Também houve casos de estigmatização dos profissionais junto à população, que os consideravam como vetores da doença, assim como aconteceu em Brasília, onde em primeiro de maio, enfermeiros foram hostilizados por apoiadores do presidente da República.

“É preciso fazer uma investigação independente sobre a maneira como a crise foi gerenciada. E, sobretudo, consultar os profissionais da saúde sobre a melhor resposta a uma crise desse porte”, completou a representante da Anistia Internacional.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.